Eugénio Roda

Eugénio Roda é pseudónimo de Emílio Remelhe, nascido em Barcelos em 1965. Professor na ESAD – Escola Superior de Arte e Design de Matosinhos e na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Leciona Escrita Criativa, Desenho e Ilustração. Doutoramento em Educação Artística, com tese no domínio da educação em museu e Mestrado em Prática e Teoria do Desenho. Investigador do ESAD-IDEA e do I2ADS – FBAUP. Membro fundador da ELOS – Associação Galego-Portuguesa de Investigação em Literatura Infantil e Juvenil. Formado em Pintura, a sua atividade inclui artes plásticas, cenografia, desenho, ilustração e literatura, usando diversos pseudónimos. Textos publicados em editoras como Gémeo R, Ver Pra Ler, Outro Modo/Monde Diplomatique ou Eterogémeas, e em publicações periódicas como a Revista Macau, Revista UPorto, Revista Mãos, Águas Furtadas, Lura, Blimunda, Pimpollo. Tem participado em encontros de literatura e realizado workshops e ações de formação para professores. Tem realizado trabalho de copywriting para marcas e instituições como Josegourmet, Papillon, Eterogémeas, Poças Júnior, ESAD, Museu D. Diogo de Sousa, Galeria da Biodiversidade, entre outras. As suas colaborações regulares e pontuais incluem instituições como as bibliotecas da RNBP e da RBE, Reitoria da Up, Centro Cultural de Belém/Fábrica das Artes, RTP/Canal 2, Museu Serralves, Casa da Música, Association Cardan/Leitura Furiosa.

Eugénio Roda escreve ficção e poesia para a infância de grandes e pequenos. Recebeu o Prémio Adolfo Simões Müller em 2007, foi nomeado pela Sociedade Portuguesa de Autores para o Prémio Autores 2010 e Menção Honrosa no Prémio Manuel António Pina/Tcharan em 2013. Tem texto publicado nas editoras Gémeo R, Livros do Oriente, Gailivro, Porto Editora, Bags of Books, Kalandraka, Las Enredaderas, Portaculturas e, principalmente, Eterogémeas. Escreve também para teatro, levado a cena e co-produzido por instituições como o Teatro Maria Matos, Casa da Música, Teatro do Bolhão, Comédias do Minho, Centro Cultural Vila Flor ou Thêatre de la Ville.

ALGUNS LIVROS
Lobobullying. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2019.
Tombo. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2019.
Un ÁrBol Crece y nadie le pregunta porqué. Ilust. Cecilia Afonso Esteves. Trad. Magdalena Almada, Leticia Almada. Portaculturas. 2018.
Duas Mil e Dezanove Dicas em Forma de Uivo. Ilust. Coletivo Pro. Eterogémeas. 2018.
Paredes a Meias. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2018.
Uma Família É Uma Família. Teatro. Estreado no Teatro do Bolhão em 2015.
Efémera. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2014.
Tanto Como. Ilust. Gémeo Luís. Kalandraka/Faktoria de Libros. 2014.
Opostos Bem-dispostos. Teatro. Estreado no Teatro do Bolhão em 2014.
O Barco de Papel. Ilustração de André da Loba. Bags of Books. 2013.
Minhamãe. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2012.
Pensamientras. Ilust. André da Loba. Eterogémeas. 2012.
O Capuchinho Vermelho: histórias secretas e outras menos. Eugénio Roda et al. Bags of Books.2012.
Catabrisa. Teatro. Estreado no Teatro Maria Matos em 2012.
Tanto Quanto. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2011.
Duas Mil e Doze Mãos à Obra. Coletivo internacional de ilustradores. Eterogémeas. 2011.
Azul Blue Bleu. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2010.
O chapelinho encarnado contado de novo. Ilust. Hassan Amekan. Eterogémeas. 2010.
Catavento/La Briza del Brizo. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2010.
Duas Mil e Onze Ligações Químicas. Coletivo internacional de ilustradores. Eterogémeas. 2010.
Sem Palavras. Ilust. André Caetano. Porto Editora. 2010.
A Verdadeira História de Aviv. Pintura de Paula Rego. Rubrica ZIG-ZAG da RTP-Canal 2. 2010.
Berlinde Marble Bille. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2009.
Sonharte Contarte. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2009.
Duas Mil e Nove Formas de Ser Estar. Coletivo internacional de ilustradores. Eterogémeas. 2009.
Irmã(o). Ilust.Cristina Valadas. Edições Gémeo R. 2008.
Dois Mil e Nove Mundos a Céu Aberto. Coletivo internacional de ilustradores. Eterogémeas, 2008.
Contos de Janela. Prémio Adolfo Simões Muller 2007/Ed.Verbo/Câmara Municipal de Sintra. 2008.
Duas Mil e Oito Voltas no Carrocel. Coletivo internacional de ilustradores. Eterogémeas. 2008.
Erva-Palavra. Ilust. Gémeo Luís. Delegação Norte do Ministério da Cultura/Gailivro. 2007.
O Guarda-Rios. Ilust. Cristina Valadas. Delegação Norte do Ministério da Cultura/Gailivro. 2007.
Rêve. Ilust. Gémeo Luís. Porto: Eterogémeas. 2007.
Schhhlep!. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2006.
ABeCé de las Historias. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2005.
O Quê Que Quem – Notas de Rodapé e de Corrimão. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2005.
O Piano de Cauda. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas, 2004.
Trapalhadas Fantásticas. Texto e Ilust. ER. Eterogémeas. 2003.
O Moinho de Tempo. Ilust. Gémeo Luís. Livros do Oriente. 1997.
Outros pseudónimos:
Entre o Corpo e a Mente. Texto de Ed Root et al. Des.Cristina Valadas. Edições Gémeo R. 2006.
A Casa (E)Terna. Texto de Elliot Rain. Ilust. Gémeo Luís. Casa do Poema/Eterogémeas. 2005.
Suppermen. Texto de Elliot Rain. Desenho de Emílio Remelhe. Edições Gémeo R. 2004.
Sonhos de Trazer por Casa. Texto Estêvão Roque. Ilust. Gémeo Luís. Edições Eterogémeas. 2003.
Lok, a Estrela Carente. Texto de Elliot Rain. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2003.
Lok, o Aprendiz de Si Próprio. Texto de Elliot Rain. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2003.
Requiem para um Pseudónimo. Texto de Emílio Remelhe. Fotografia de Rui Mendonça. Edições Gémeo R. 2003.
Atentados. Texto de Ed Root. Desenho de Rui Mendonça. Edições Gémeo R. 2003.
Uma História Verdadeira Seguida de uma História Real. Texto Estêvão Roque. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2000.
A História do Senhor Inquilino Caseiro. Ilust. Gémeo Luís. Eterogémeas. 2000.
Alquimiar. Texto de Emílio Remelhe. Ilust. Cristina Valadas. Edições Gémeo R. 1998.
Vinagrenalma. Texto e desenho de Emílio Remelhe. Edições Gémeo R. 1998.
Fosforescências. Texto de Emílio Remelhe. Ilust. Cristina Valadas. Edições Gémeo R. 1998.